Número total de visualizações de página

domingo, 19 de janeiro de 2014

CONTRADIÇÃO - poema de VÓNY FERREIRA. vfb.2009.



CONTRADIÇÃO
(VÓNY FERREIRA)
Se escorrego no silêncio
Esbracejo, protesto ferida
Na quietude dos meus gestos.
Procuro sedenta as palavras
Atropelo vencida a esperança
E corro… corro em desatino
Fugindo apavorada dos meus medos!

Porque me afligem os segredos?
Porque me massacra essa ausência?
Porque se enaltece e entristece a alma?

Nada sei…
No entanto…

Nem a dor do corpo suaviza
Nem a dor da alma se acalma
Blasfemo em silencio
Renasço nesse silêncio
Para logo depois morrer de novo
Através do vento que se exalta.
É como se fosse uma arvore
Morrendo lentamente de pé
No topo de uma montanha

Ah… se escorrego no silêncio
Sinto o corpo dorido e dormente
Sinto-me refém de mim mesma
Porque às vezes a minha pobre alma
Parece chorar em silêncio de contente!
2/5/2006
Vóny Ferreira 




Sem comentários: