Número total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

SINAL FECHADO poema de Maria Bethânia, interpretação arrepiante de: ELIS REGINA

Olá, como vai
Eu vou indo e você tudo bem
Tudo bem eu vou indo
Correndo pegar meu lugar
No futuro e você
Tudo bem eu vou indo
Em busca de um sono tranquilo
Quem Sabe
Quanto tempo, pois é quanto tempo
Me perdoe a pressa
É a alma dos nossos negócios
Qual, não tem de que
Eu também só ando a cem
Quando é que você telefona
Precisamos nos ver por aí
Pra semana prometo talvez nos vejamos
Quem sabe
Quanto tempo pois é
Quanto tempo
Tanta coisa que eu tinha a dizer
Mas eu sumi na poeira das ruas
Eu também tenho algo a dizer
Mas me foge à lembrança
Por favor telefone eu preciso saber
Alguma coisa rapidamente
Pra semana, o sinal
Eu procuro a você, vai abrir, vai abrir
Eu prometo não esqueço
For favor não esqueça, não esqueça
Não esqueça
Adeus 


1 comentário:

VÓNY FERREIRA http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

esta música, ou antes... este poema
sempre mexeu comigo. Mesmo quando eu me julgava feliz, coisa que jánão sei se
foi verdade ou se A TRISTEZA QUE ME INVADE E VARRE O MEU CORAÇÃO NO MOMENTO PRESENTE... é que é mentira!
Já não sei nada, nem porque sinto o que sinto, este vazio... enorme... perigosamente enorme!!
Esta canção é um hino para mim, agora...!
A propósito: Olá, como vais...?
Vóny Ferreira