Número total de visualizações de página

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DEITA-TE NO MEU CORPO/ poema de Vóny Ferreira




DEITA-ME NO MEU CORPO
(poema de Vóny Ferreira)
Vem, deita-te no meu corpo
Incendeia-o em ardências ansiosas
Hoje, que o cheiro de jasmim
Desmaia febril nos meus cabelos.
Ama-me com a amplitude
De quem renasce num abraço
Dado com a força descontente
E uma voracidade sem nome.
Sê o meu Deus e o meu norte!

Depois
Quando me desfizer em mar
Sê o meu porto e o meu farol
Tatua teus beijos na minha pele.
VÓNY FERREIRA____________
________________M.Ivone B.S.Ferreira


1 comentário:

Carlos Rocha disse...

Já tinha comentado este poema no facebook, reproduzindo a ideia que com ele me tivera "...iluminado duplamente...". è o que sinto!... Quer a Vony quer a outra amiga, sabem porque falo assim, de dulpamente iluminado!... foto e poema maravilhosos!...