Número total de visualizações de página

domingo, 23 de outubro de 2011

Poemas de Conceição Brnardino lidos por: VÓNY FERREIRA


Deixa-me ser uma lágrima
tombada no teu rosto
para sentires
a minha existencial
nascença

Nasci da força remota
da indiferença do entulho
dos dedos de ninguém
fui parida
a sangue frio
no colo de aquém

Deixa-me ser uma lágrima
tombada no rosto de alguém

Quem sabe?
…talvez a tua…
MathildeGonzalez


"Lamento de uma guitarra"

A visão nega-me o ensejo da luz sadia
em cera queimada, já sem pavio.
Pudera eu ser a razão
de uma razão qualquer errante.

Deixem-me aqui quieta
no medo que já não me amedronta
onde as candeias se apagam à noite,
no lamento de uma guitarra.

…pudera eu ser o que já fui
sem ser o que não mais serei…

Deixem-me aqui
onde o meu fado mora também.
Onde o silêncio sente e escuta
este sentir, vazio de ninguém.
 

(MathildeGonzalez)
pseudónimo literário de Conceição Bernardino


Sem comentários: