Número total de visualizações de página

domingo, 23 de outubro de 2011

"Carta Registada" Poema de Maria João Mesquita (HORRORIS:CAUSA) lido por: Vóny Ferreira

Carta Registada (re.)

Mãe,quando os meus olhos morderem esta terra
sinto o peso, sinto frio.
retenho então a tua presença
distante e sempre pressentida
na minha própria história
escrita pelos teus passos.

hei-de resgatar a vida
nem que seja numa só feliz imagem,
os anos que não tivemos
as guerras que sentimos
a cumplicidade do olhar.

acaso apenas seja este
o tremor de um instante
na presença desta manhã, Mãe
quero ficar e ser o teu sol primeiro
o raio ninar de um regaço
que ao unirem-se o amor proclama
pela simples felicidade de estarmos juntas
e, que nem esta terra escura consegue separar.

Sem comentários: