Número total de visualizações de página

sábado, 26 de outubro de 2013

DEMONÍACA/ poema de: Vóny Ferreira



DEMONÍACA
(Vóny Ferreira)

A besta

Saída das trevas
Fechou a porta com estrondo
Corrompeu o sol e trouxe nuvens
Pelo prazer de pintar o céu de negro
Com a loucura de quem se desumanizou.


A besta

Disfarçada de angélico Poeta
eternizou vendavais no riso das palavras
trancou portas e janelas
Dinamitou maldosamente as pontes
Como quem amesquinha uma criança.

A besta

Filha de uma frustração miserável
Dizia amar flores mas alimentava sapos
Sentia arrependimento sem muita lucidez
Sorria… 
Sorria…
Com o seu sorriso de esquilo.

A besta

Só se sentiu feliz
Quando profanou um inocente casulo
Onde uma borboleta esperava pacientemente
Que o tempo lhe devolvesse uma nova vida
com asas coloridas 
que a levassem a voar e sonhar.

Vóny Ferreira 

Sem comentários: