Número total de visualizações de página

domingo, 23 de outubro de 2011

Entre cilios ///dueto de vony ferreira e Vânia Lopez

 


Entre cilios


Dueto Vânia Lopez e Vóny Ferreira)






Pelos olhos via ao longe
e longe não havia
uma sobrancelha se erguia
deixando escapar segredos

sigilo de horas marcadas
no relógio de um cuco vadio
que se enamorou do espelho
embaciado pelo meu desespero.

E nele uma ruga surgia
vagueava em seus sinais
no desvario de segundos
nossos olhos namoravam.

Faziam amor…

nas ruelas da nossa pele de galinha
nossos pelos sorriam ao arrepio
no cruzamento dos nossos corpos
em busca de um mar para o rio.

Dos dedos escorriam conversas longas
o mar se agitava
essas águas suspiravam
alinhando-se entre as pedras
moldando o que dentro era onda.
se fugias te alcançava

Se ficavas não te via…

Prolongando o olhar
ardia sua presença
que eu comia com a alma.

Experimentava a tontura do estômago
aliviava o que em mim arde em si

Para recuperar o que nunca vivi…



(Vânia Lopez e Vóny Ferreira




3 comentários:

Vóny Ferreira e outros poetas neste blog : http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

Minha querida amiga Vânia
Temos caminhado lado a lado. Do longe sempre fizemos perto, movendo as aguas do oceano para os olhos que a saudade guarda muita vez dentro dos nossos corações. Quem pensar que não se pode amar alguém de coração limpo sem conhecer pessoalmente, engana-se. A prova está nesta nossa amizade inquestionável. Incondicional!
Este dueto feito contigo deu-me um enorme prazer porque misturar as minhas emoções com as tuas é crescer um pouco mais como pessoa sensível, que sabe que todos nós andamos cá para evoluir e crescer como gente.
Beijinho minha amiga e obrigada por este vídeo que formataste carinhosamente.
Vóny Ferreira

Karinna* disse...

*Belíssima parceria.
Impresiona-me sempre a dimensão de céu que colocam nas palavras e seus sentidos.
Os sentimentos se avolumam e explodem POESIA pura!
Belo!
Beijo-as
K*

Natalia Nuno disse...

Foi muito bom ouvir a voz doce duma doce amiga, num poema que é bem o espelho das duas poetizas, criado à luz do saber do coração.

Beijinhos às duas
espreitei o Luso em boa hora!