Número total de visualizações de página

domingo, 23 de outubro de 2011

A Poesia de Pernas Cruzadas poema de Karla Bardanza


Ela cruza as pernas
E o mundo se cala.
Um coração perde
A fala.
Uma palavra fica
Rubra.
Joelhos perfeitos,
Mãos de dama.
Ela é a poesia,
Ela me chama.
Ela me comunga.
Acho que ela me
Conclama...
E de olhos fechados
Na cama posso vê-la
Sentada, pernas cruzadas,
Sedução quase sem fim...
Ela é a poesia morrendo
De desejo dentro de mim.
Meias de seda, fios e
Metáforas...Nas entrelinhas,
Eu sou ela e ela sou eu,
Ambas sozinhas, à espera
De absolvição.
Quem chegar, que mostre
Também o coração.
De pernas cruzadas, a poesia
É a mulher absoluta e
Amada.
É a madrugada dissolvida
Em alucinação.
De pernas cruzadas, a poesia
Sempre me tem nas mãos.
(Karla Bardanza)

Sem comentários: