Número total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DESASS0SSEGO poema de (Samantha Beduchi) lido por: VÓNY FERREIRA



As lamparinas da saudade
com as suas luzes pálidas,
são cálidas bailarinas
que me fazem companhia
na bravura encalorada
da minha insônia.

Estou atordoada dessa ausência.
Tudo virou madrugada em mim.

Pensamento descompassado...
Penso em você,
e me esqueço de novo...
Só pra me lembrar
da substância do querer
e do seu rosto.

O preço da memória
é o meu cálice de amargura,
desagregado imposto,
desgraçada tortura
que me embriaga
com um gosto salgado
e rasga a garganta
da minha fina solidão...
Maldita sina!

Perdi você da minha vista.
Pedi o endereço do amor
e me perdi assim?

Mas ainda me restam pistas
e as luzes das lamparinas
pra me lembrarem do seu rosto
e da dor de não o ver...

Desassossego que me beija...
Maldita seja essa sina de amar você!

(SAMANTHA BEDUSCHI)

Sem comentários: