Número total de visualizações de página

sábado, 23 de agosto de 2014

SINAIS DO TEMPO poema de Vóny Ferreira 2014

SINAIS DO TEMPO
(Vóny Ferreira)
Navega-me nos olhos um barco à vela
Empurrado por um vento que perdeu o norte
Atulhado de nevoeiro e molhos de alecrim
Sem bússola alguma para que de mim se afaste.

Ancorado às pestanas onde encubro o abismo
Que se perpetua nos dias que estão para nascer
Em que serei lua nas profundezas do (a)mar.

Que se apague o meu destino nos dedos feridos
É o que vou pedindo às palavras que me vestem
Quando a sangrar me transformo no que escrevo
Sem perceber a razão deste meu desassossego.

(VÓNY FERREIRA)
M.Ivone B.S.Ferreira ✿⊰____________
 — com VÓNY Ferreira (escritora).
Foto: SINAIS DO TEMPO
(Vóny Ferreira)
Navega-me nos olhos um barco à vela
Empurrado por um vento que perdeu o norte
Atulhado de nevoeiro e molhos de alecrim
Sem bússola alguma para que de mim se afaste.

Ancorado às pestanas onde encubro o abismo
Que se perpetua nos dias que estão para nascer
Em que serei lua nas profundezas do (a)mar.

Que se apague o meu destino nos dedos feridos
É o que vou pedindo às palavras que me vestem
Quando a sangrar me transformo no que escrevo
Sem perceber a razão deste meu desassossego.
 
 (VÓNY FERREIRA)
M.Ivone B.S.Ferreira ✿⊰____________

Sem comentários: