Número total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

António M. Martins homenageou-me no seu blog com este meu poema VÓNY FERREIRA...



AS PALAVRAS FOGEM DE MIM


As palavras fogem de mim
Numa fuga que me fere.
Já não as entendo!
Já não as procuro.
A minha exaustão
tem a dimensão
do mundo nelas escancarado
e que agora se fecha
num soluço amargo.
Desesperado…
Como se o irrealismo
que me mostram
fosse o mesmo…
ah, o mesmo…
que me pariu um dia!
As palavras fogem de mim…
Numa cavalgada que me assusta.
Despeço-me das suas carícias.
Agora…
Reencontro-as em açoites
Em todas as consoantes
Vogais e vírgulas,
sem ponto final.
Reencontro-as estéreis
nos risos que viraram lágrimas
Num despudor de amante infiel!
Agora…
Recuso-me a fazer amor com elas
Nesta entrega de amantes fugidios
Que se amam em becos floridos
Com sardinheiras encarnadas
e vasos de manjericos!    

Vóny Ferreira, in “Cascata de Sílabas”, página 66, edições Mosaico de Palavras, Junho de 2009.


Sem comentários: