Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

“SEPULCRO DE UM AMOR” poema de;[ Vóny Ferreira] Agosto de 2013




 
Sem tempo já para tanto tempo
Em que fizeste de mim tapete
Lançado sem remorsos para o chão
Olho-te pela última vez nos olhos
Como um cego altivo que desiste
Dos instintos que lhe serviram de visão.

Já não há sombras para derrubar
Agora que desisto de ser peregrina
De um falso amor que só existiu
Nas lágrimas que chorei, sozinha.
 

Agora que subo o meu próprio calvário
Sem tinta nas mãos nem papel
Em que abandono a minha sorte
A um mar de enganos e um .
Que rio à gargalhada do meu medo
Consciente que tudo é preferível
Do que tais tempestades de desprezo.

Não… já sem tempo, para tanto tempo
Em que transformaste o que dissemos
Num muro blindado por um sórdido silêncio
Abraço-te pela última vez, apenas e só…
Como alguém que se despede de um morto
Para sempre sepultado dentro de nós...

Vóny Ferreira  2013

2 comentários:

Malu Silva disse...

Acabei de postar esse poema em SEM OLHARES CRÍTICOS e direcionei o link para seu blog. Um abraço Vóny!!!

VÓNY FERREIRA http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

Ola muito obrigada Malu pela sua gentileza. Gosta que me deixasse aqui o link do seu blog pois não consegui ver
Abraçooooooooooo
Vf