Número total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Poema de Manuela Fonseca lido por: VÓNY FERREIRA

Menina das Tranças Loiras

Menina das tranças loiras
Que caminhas
À beira da estrada
Levando sonhos embrulhados
Em tule azul celeste
Não vês como é grande e estranha
A saudade
Que paira sobre a tua cabeça

Ora descobre o Sol…

Ora cai a Chuva…

E tu, menina das tranças loiras

Desdobras a saudade
Ao Sol
Enquanto caminhas ansiosa
Na direcção do Cais
Apesar de saberes que lá
A Chuva cai
E os sonhos não voltam

Sentada à beira do Cais

Vês o atracar de navios
Abarrotados de gente
Que vai para o lado de lá
De ti

Subitamente, o mar revolta-se

Com a audácia dos teus sonhos!

E a Chuva cessa…


Olhas para trás

E desejas correr
Em busca do momento perdido
Mas é tarde…

Ficas à beira do Cais

Olhando para os navios
Estáticos e vazios
Abres as mãos
E deixas deslizar
Por entre os dedos
A saudade inútil
Que outrora desdobraste ao Sol
Como sendo destroços
De um naufrágio
Lançados à praia…

Manuela Fonseca

1 comentário:

Manuela Fonseca Amaral disse...

Obrigada Vóny! Um grande beijinho de gratidão por este lindo presente.

Bom fim de semana, amiga*