Número total de visualizações de página

sábado, 26 de setembro de 2015

Amor Ausente escrito por Vóny Ferreira





Para que te vou falar de ausência se essa é a única realidade que tens para me dar?
No cais da espera tu és o barco que nunca chegará e eu o vulto que o nevoeiro, extinguirá de uma forma lenta e impiedosa. 
Na dança das horas aprendi a ouvir a musica do silêncio que as minhas mãos transformam em gritos de alma quando escrevem o que sinto.
No meu peito a mágoa estala (como o fogo a trepidar numa fogueira acesa...) por constatar que não há nenhum amor que me espera.
Que neste mundo pequeno não existe alguém que me ame!
Essa é a mesma dor... a que me mata e faz renascer...!
A que no mais fundo da minha alma me incentiva a manter acesa a luz do meu sonho peregrino:
- O de encontrar o amor da minha vida nem que seja quando estiver às porta da morte!

º~º~º~º~º~º~º~º~º~º~º~ºVóny Ferreira~
2015__________M.Ivone B.S.Ferreira

Sem comentários: